Trabalhos de Conclusão de Curso

LEGITIMACY / LEGITIMIDADE

01/01/21

The Interrelationship between Courts and Administration: boundaries and factors affecting the judicial review of regulatory decisions in Brazil

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Jeovan Assis da Silva

Advisor / Orientador(a):

Tomas Aquino Guimaraes

The judicial review of regulatory decisions brings relevant issues concerning the role of courts in modern democracies. Regulatory agencies around the world are frequently associated with making better use of expertise and experts in order to make relevant economic and technical choices even in highly sensitive domains. However, courts also play a pivotal role in controlling administrative behavior and in defining important issues of regulatory policies. In order to address the phenomenon, three interdependent studies are incorporated in this doctoral thesis. The first one is an essay that brings a literature review, as well as relevant theoretical lenses for analyzing the interactions between regulatory agencies and courts. The theoretical essay provided two propositions: Proposition 1: The overlapping of authority in the regulatory space leads to conflicts between legal control by courts and the application of regulatory standards by regulatory agencies. Proposition 2: Judicial review of decisions made by regulatory agencies involves conflicts of choice between regulatory and adjudicatory processes and technical- administrative and legal rationalities. The objective of the second study was to explore divergences and boundaries perceptions among key state actors in regulatory litigation. The main theoretical frameworks were regulatory space and institutional logics. Data analysis was performed through interviews with judges and regulatory agencies’ officials and attorneys. The findings indicated that judicial review of regulatory decision-making involves a fluid interpretation work and overlapping roles in defining the way regulatory functions should be organized. Finally, the third study discusses factors affecting judicial decisions on regulatory matters in Brazil. Law and Economics approach guided the analyses. Data analysis was carried out using an original database with 1,353 rulings issued by two Brazilian federal courts in the period from 2010 to 2019. The results show that the length of the proceedings had a relevant impact on the judicial behavior, as well as courts are prone to analyzing legal-procedural issues rather than reviewing regulators’ policies, and that a focus on those aspects favors rulings against those bodies. In each thesis article, studies are discussed and their findings are stated.

PERFORMANCE / DESEMPENHO

22/12/20

Autonomy and performance of public agencies: the case of the offices of public defenders


PhD in Public Administration and Government / Doutorado em Administração Pública e Governo

Author / Autor(a):

Bernardo Oliveira Buta

Advisor / Orientador(a):

Marco Antonio Carvalho Teixeira

Public Administration literature still has some open questions about the autonomy of public organizations, especially about the relationship between autonomy and performance. There is still no clear indication about which aspects of autonomy are most relevant to performance, or on how different aspects influence the performance of public organizations. In order to produce evidence to assist the knowledge development on this topic, this dissertation focuses on the case of Public Defenders’ Offices (PDOs) in Latin America. PDOs are public agencies responsible for providing legal aid to the vulnerable population. To fulfill this mission, these agencies litigate directly against the State in matters where there are deficiencies in the provision of public services to vulnerable citizens. Therefore, autonomy tends to be necessary for the functioning of those agencies. This dissertation pursues the following issue: how does the relationship between autonomy and performance take place in PDOs? The aim of this dissertation is to explore and test aspects of the relationship between autonomy and performance of PDOs. To this end, four different articles were prepared, each of which represents a step towards achieving the research aim. First, a theoretical model was developed based on the identification of dimensions that explain the autonomy of public organizations. Then, a PDO autonomy measurement scale was built, allowing cross-country comparison of PDOs’ autonomy levels. Afterwards, the relationships between autonomy and performance of Latin American PDOs were explored. Finally, the impact of autonomy on the performance of Brazilian subnational PDOs was tested. The results show that the autonomy of the Latin American PDOs is quite varied; there are PDOs with clear hierarchical subordination to the Ministry of Justice of their countries, as well as there are largely autonomous PDOs, with no ties to any of the state branches. The levels of autonomy can be influenced by governments' effectiveness, per capita GDP and the number of political parties. Furthermore, there is evidence that the dimensions of autonomy are related to performance in different forms and intensities. It was observed that greater administrative autonomy induces greater efficiency, but loose hierarchical linking to a higher authority leads to lower levels of efficiency. The results also indicated that there are other factors necessary for the performance of PDOs, such as the effectiveness of accountability mechanisms, and the skills of bureaucrats, but accountability does influence performance to a greater degree.

GOVERNANCE / GOVERNANÇA

01/01/20

A prática do campo penal juvenil no Distrito Federal: doxa punitiva, governança e intersetorialidade

Master in Law / Mestrado em Direito

Author / Autor(a):

Ana Cláudia de Souza Valente

Advisor / Orientador(a):

Antonio Henrique Graciano Suxberger e Liziane Paixão Silva Oliveira

PERFORMANCE / DESEMPENHO

01/01/20

Essays upon Court Disposition Time in Brazil

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Caio Castelliano de Vasconcelos

Advisor / Orientador(a):

Tomas Aquino Guimaraes

Court delay is one of most serious problems faced by judicial systems around the world. This work explores the problem through four complementary essays. The first one analyzes court disposition time combining different but interrelated theoretical perspectives: institutional, organizational, agent-principal and game theory. The second essay examines if court delay in Brazil is a real problem or just a matter of biased perception of court users. The conclusion is that the duration of civil cases in Brazilian first instance courts is almost three times higher than in Europe. However, as the number of resolved cases is higher than the number of incoming cases, case backlog and court disposition time have a decreasing tendency. The third essay investigates which factors affect court disposition time in Brazil. The data was collected from 15 in-depth interviews with judges, prosecutors and lawyers. Content analysis generated a list of 28 factors that were clustered in three basic dimensions: institutional, jurisdictional and organizational. This essay concludes that institutional factors form two opposite phenomena named “judicial universalism” and “judicial aversion”, which have a major and negative impact on court speed. Although smaller, jurisdictional factors also seem to have a negative impact on celerity. Surprisingly, most organizational factors seem to have a positive impact on the pace of cases. The last essay undertakes an empirical investigation about factors affecting the number of resolved cases in Brazilian labor courts, distinguishing between factors affecting judicial deliberation and judicial enforcement. Contrary to previous empirical research, this study found that number of judges have a substantial impact on court output and that the number of new cases brought to courts seems to have just a moderate effect on the number of resolved cases. The conclusion debates the idea that Brazilian judicial system appears to be a long and congested road where cases run around in circles.

INNOVATION / INOVAÇÃO

27/09/19

Inovação organizacional no sistema de justiça brasileiro e o combate à corrupção

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Isabelle de Baptista

Advisor / Orientador(a):

Priscila Rezende da Costa

A corrupção domina a opinião pública e o cenário político nacional, especialmente desde a deflagração da maior iniciativa de combate à corrupção e lavagem de dinheiro no Brasil, denominada de Operação Lava Jato, por conta dos valores vultosos envolvidos, das pessoas atingidas, pela crise econômica e social que assolou o país, e, principalmente, por ter rompido uma tradição de impunidade em crimes dessa natureza. Nesse cenário, diversas ações exitosas de combate à corrupção foram implementadas. O Prêmio Innovare reconheceu, entre os anos de 2004 a 2018, 131 práticas que aprimoraram a justiça brasileira, especificamente em relação ao combate à corrupção. No Ministério Público Federal, foram constituídas equipes de trabalho, chamadas de Força-Tarefa Lava Jato, que foram capazes de romper uma longa tradição de impunidade em crimes de corrupção e promover uma mudança no cenário social e jurídico brasileiro, cumprindo com eficiência o combate à corrupção. Esta pesquisa objetivou compreender as inovações organizacionais, implementadas no sistema de justiça brasileiro, que permitiram a produção de resultados exitosos no combate à corrupção. Para tanto, adotou-se um estudo de natureza qualitativa, composto de duas etapas: a primeira, com abordagem metodológica descritiva, voltada à caracterização dos recursos, capacidades e inovações organizacionais implementados pelo sistema de justiça brasileiro, a partir da análise dos finalistas e premiados pelo Prêmio Innovare. A segunda etapa foi realizada por meio de abordagem metodológica exploratória e estudo de caso único, tendo como unidade de análise a Força-Tarefa Lava Jato, por ser o caso de maior repercussão social e eficiência no combate à corrupção brasileira. Ao final, apresentou-se um modelo de recursos, capacidades e inovação organizacional para instituições que integram o sistema de justiça, unindo os elementos identificados na revisão teórica e nas pesquisas de campo, direcionando recursos e capacidades para a geração de inovação no ambiente organizacional, com a finalidade de promover, de forma eficiente, o combate à corrupção.

GOVERNANCE / GOVERNANÇA

14/08/19

O arquipélago da justiça: o modelo do governo judicial no Brasil e o controle do estatuto da magistratura

PhD in Constitutional Law / Doutorado em Direito Constitucional

Author / Autor(a):

Luciano Athayde Chaves

Advisor / Orientador(a):

Gustavo Raposo Pereira Feitosa

O objetivo da pesquisa é analisar como o Judiciário se governa, ou seja, como os seus órgãos exercem suas garantias constitucionais de autonomia institucional, discutindo os fundamentos teóricos, modelos e funções do governo judicial, adotando, como recorte, a sua atribuição de realizar a gestão e o controle do estatuto da magistratura, elemento considerado como predominante nos tipos comparados de governo da Justiça, e tendo em vista o argumento, na perspectiva brasileira, da ausência de promulgação do novo estatuto, determinado pela Constituição de 1988, mesmo após trinta anos de sua promulgação. Partindo da imagem do ¿arquipélago da Justiça¿, como representativa das posições críticas à organização, funcionamento e eficiência dos órgãos judiciários, e tomando a categoria do governo judicial como campo analítico, o trabalho envolveu a discussão das fontes históricas e teóricas da formação do modelo brasileiro, que justificam o arranjo adotado pela ordem constitucional de 1988, complementada pela Reforma Judiciária de 2004, com ênfase na abordagem estruturalfuncional de Eugenio Raúl Zaffaroni (1995), de modo a estabelecer um olhar crítico sobre a arquitetura formal da organização judiciária, suas atribuições de governo e o argumento da unidade do Judiciário, privilegiando-se as questões atinentes à funcionalidade do modelo, como, por exemplo, os efeitos da concorrência intrajudicial, resultado da sobreposição de órgãos judiciários com semelhantes funções governativas. A posição de grande isolamento dos tribunais estaduais, no contexto do controle interno, decorrente do modelo de governo judicial, justificou o foco nesse segmento, examinando-se o contraste entre a regulação supostamente única e nacional da magistratura e os textos normativos de origem estadual. A pesquisa quantitativa e qualitativa foi complementada pela metodologia de análise de conteúdo na investigação das decisões do Supremo Tribunal Federal sobre os significados materiais do que se compreende por ¿estatuto da magistratura¿, bem como sobre as possiblidades de atuação interna do Conselho Nacional de Justiça, no propósito de assegurar o princípio constitucional da unidade estatutária. A pesquisa permitiu constatar a centralidade da agenda da reforma judiciária e do seu modelo de governo nos sucessivos processos constituintes, bem como as dificuldades para a superação da força de insulamento dos tribunais, diante de um perfil de dualidade de Justiça e do constante vetor político de descentralização administrativa de seus órgãos. Também foi possível observar que, apesar dos avanços, no sentido do controle interno mais central, exercido pelo Conselho Nacional de Justiça, os aspectos referentes à fragmentação do estatuto da magistratura indicam que esse controle tem sofrido muitos bloqueios, em especial decorrentes da posição do Supremo Tribunal Federal quanto a esse papel do Conselho, o que expõe a resiliência de alguns problemas relacionados com a autonomia dos tribunais, em especial os estaduais, que não permitem considerar como superada a imagem de insulamento do Judiciário, diretamente vinculada ao modelo de governo judicial adotado no Brasil. Essas questões contribuem para compreender algumas das razões da demora na edição de um novo estatuto da magistratura, uma das questões centrais do Judiciário, ainda em aberto no regime constitucional de 1988. Palavras-chave: Poder judiciário. Governo judicial. Modelos. Estatuto da magistratura. Controle.

INNOVATION / INOVAÇÃO

22/03/19

The Institutionalization of Therapeutic Jurisprudence and Restorative Justice in the US and Brazil

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Jéssica Traguetto Silva

Advisor / Orientador(a):

Tomas Aquino Guimaraes

Três estudos estão incorporados nesta tese de doutorado, que trata da Institucionalização da Jurisprudência Terapêutica (JT) e da Justiça Restaurativa (JR) nos Estados Unidos e no Brasil. O primeiro estudo é um ensaio teórico que descreve as relações entre JT e JR e os conceitos de mudança, inovação e empreendedorismo, na perspectiva da Teoria Institucional. O objetivo do segundo estudo foi descrever quão institucionalizados esses movimentos (JT e JR) estão nos EUA e os papéis desempenhados pelos juízes nesse processo. Finalmente, o terceiro estudo discute as percepções dos juízes brasileiros sobre essas novas formas de dispensar a justiça dos insights da teoria da mudança institucional. A teoria institucional foi um eixo comum entre os três estudos, e é uma teoria dominante nos estudos organizacionais e fornece várias explicações, especialmente sobre mudanças como as geradas por JT e JR. A pesquisa utilizou dados primários e secundários. Os dados primários foram coletados por meio de entrevistas em profundidade com juízes e atores-chave nos sistemas judiciário brasileiro e norte-americano, e os dados secundários foram obtidos por meio de pesquisa documental em periódicos, documentos internos e sites de tribunais. A análise dos dados foi realizada por meio de análise de conteúdo. O estudo teórico forneceu duas proposições - Proposição 1: Jurisprudência Terapêutica e Justiça Restaurativa representam uma mudança divergente e inovação institucional, pois essa abordagem altera a atividade judicial tradicional e institucionaliza uma nova forma de promover a justiça, argumentando que os métodos anteriores eram ineficazes por não terem reabilitado infratores. Proposição 2: Os juízes que aplicam a Jurisprudência Terapêutica e a Justiça Restaurativa atuam como empreendedores institucionais porque favorecem a mudança de maneira consciente, aberta e motivada, e mobilizam alianças institucionais de apoio para superar as barreiras. Os resultados da pesquisa nos EUA mostram que juízes americanos que aplicam a Jurisprudência Terapêutica e a Justiça Restaurativa se comportam como empreendedores institucionais e foram identificados quatro papéis desempenhados por eles: promotor, autor, convocador e mantenedor. Os resultados do estudo no Brasil mostraram quatro dimensões - crenças, motivações, comprometimento e relações intergrupais - que caracterizam os papéis desempenhados pelos juízes brasileiros que trabalham com a Jurisprudência Terapêutica e a Justiça Restaurativa. Em cada artigo de tese, os estudos são detalhados e seus resultados são apresentados.

LEGITIMACY / LEGITIMIDADE

21/03/19

Legitimidade e Organizações da Justiça: uma análise do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Master in Administration / Mestrado em Administração

Author / Autor(a):

Tatiana Rodrigues Silveira

Advisor / Orientador(a):

Edson Ronaldo Guarido Filho

Com o propósito de aprofundar os conhecimentos da administração pública sobre as organizações da justiça, o trabalho investigou a legitimidade por meio de um dos eventos mais significantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a AIJE nº 1943-58. O estudo de caso teórico-empírico buscou avançar na compreensão do fenômeno da legitimidade pela perspectiva de processo, explorando a articulação entre os níveis organizacionais e institucionais de suas manifestações discursivas. Ao descrever a relação entre as manifestações (favoráveis, contrárias ou neutras) acerca da legitimidade (tanto no nível organizacional quanto no institucional) do TSE no âmbito do debate sobre o processo da ação de cassação da chapa presidencial Dilma-Temer julgado em 2017, a pesquisa de natureza exploratória-descritiva abordou o problema qualitativamente através de pesquisa documental de dados coletados a partir de citações diretas e indiretas dos atores em publicações na mídia noticiosa online e de documentos oficiais e científicos, e tratados em análise de conteúdo com o auxílio do NVivo. A partir dessas manifestações dos atores do campo organizacional, foi possível relacionar as funções normativa, administrativa e jurisdicional do TSE aos pilares institucionais e às bases de legitimidade (Scott, 2008). Assim, verificou-se como cada grupo de atores se manifestou, como foi a evolução dos posicionamentos ao longo do tempo e, principalmente, observou-se a articulação da legitimidade organizacional e da legitimidade institucional, identificando seus momentos de sobreposição e de distinção nas diversas narrativas, que utilizavam de mais de um enquadramento e diferentes estratégias discursivas para a construção de um argumento. Os atores utilizaram-se de mimetismo, negação, quantificação da informação e até mesmo metáforas para fortalecer seus argumentos e expor seus pontos de vista sobre o TSE, cujas manifestações de suporte ou de contestação referiam-se ao desempenho dos ministros, à decisão final do julgamento ou ao desempenho do TSE. Os resultados mostraram, ainda, a possibilidade de analisar organizações da justiça não só de forma estratégica e racionalizada, mas pela perspectiva institucional, visto que o debate refere-se ora ao TSE enquanto organização da administração pública com seus profissionais trabalhando para atingir suas metas, ora enquanto instituição imbuída de valores e responsável pela justiça e democracia.

15/03/19

Representação das informações de processos judiciais

Master in Information Science / Mestrado em Ciência da Informação

Author / Autor(a):

Eduardo Watanabe

Advisor / Orientador(a):

Renato Tarciso Barbosa de Sousa

Objetiva elaborar os requisitos de um modelo de descrição de informações de funções e atividades de processos judiciais para Sistemas informatizados de gestão arquivística de documentos (SIGADs) que tornem mais rápida e precisa a recuperação de informações. Os processos judiciais são conjuntos de atos ordenados pelo Estado com a finalidade de prestar a jurisdição (aplicação vinculante da lei aos fatos e atos). O maior desafio encontrado no Brasil é reduzir a lentidão no julgamento dos processos judiciais: o prazo médio é de 11 anos em para a conclusão em definitivo de um processo judicial na Justiça Federal Comum; e são mais de 109,1 milhões que aguardavam julgamento em 2017. A metodologia de pesquisa é composta por pesquisa bibliográfica, pesquisa documental e estudo de caso, subdividida em quatro etapas. A primeira delas consiste na revisão de literatura de diplomática, tipologia documental, records continuum, as funções arquivísticas de criação, classificação, descrição e identificação, Engenharia de Documentos, Business Process Management, modelos de informação jurídica e Direito. Em segundo lugar, são avaliados os modelos de representação de informações de processos judiciais: Australian Judgment XML Standard, Modelo Nacional de Interoperabilidade do Conselho Nacional de Justiça, Electronic Court Filing, Akoma Ntoso, LegalRuleML e NOBRADE. Na terceira etapa foram identificadas as espécies e os tipos documentais do processo judicial selecionado. Como resultados da pesquisa foi elaborada proposta de elementos de descrição de processos judiciais que atendem os requisitos jurídicos de representação de processos judiciais. Foram identificadas, com apoio na literatura revisada, lacunas nos modelos avaliados, o que evidenciou a necessidade da proposta conter novos elementos de descrição. Os procedimentos de descrição tiveram que ser colocados na perspectiva do records continuum desde os preparativos da criação do documento eletrônico como abordagem para atender a complexidade das informações jurídicas a serem representadas.

PERFORMANCE / DESEMPENHO

22/02/19

Determinantes emergentes da produtividade em Tribunais de Justiça estaduais

Master in Administration / Mestrado em Administração

Author / Autor(a):

Renato Máximo Sátiro

Advisor / Orientador(a):

Marcos de Moraes Sousa

Muito se tem discutido acerca dos fatores que levariam a uma atuação eficiente ou ineficiente do sistema Judiciário Brasileiro, e uma parte das discussões acadêmicas em relação ao campo de Administração da Justiça, diz respeito aos antecedentes de desempenho/produtividade relativos aos tribunais e magistrados. Neste sentido, o objetivo principal do presente trabalho foi discutir os aspectos determinantes da produtividade dos Tribunais de Justiça Estaduais no Brasil e testar variáveis emergentes que possam auxiliar neste entendimento. A partir de uma análise da literatura de referência, foram escolhidas as variáveis já consolidadas: carga de trabalho, quantidade de recursos humanos (servidores efetivos e empregados terceirizados), investimento em TIC; e as variáveis emergentes: advogados e conciliadores. Foram colhidos dados oriundos do Relatório Justiça em Números e de páginas eletrônicas do Conselho Federal da OAB dos anos de 2011 a 2017 dos 27 Tribunais de Justiça brasileiros, em um total de 189 observações. A técnica de inferência utilizada foi a Regressão Múltipla com dados em painel. Após o teste e a validação do modelo e dos pressupostos da Regressão foram confirmadas as hipóteses de que a quantidade de advogados, a carga de trabalho e a quantidade de servidores efetivos e empregados terceirizados afetam a produtividade dos tribunais; por outro lado, concluiu-se que o investimento em tecnologia não influenciou a produtividade dos Tribunais de Justiça Estaduais. Por último, os resultados apontam na direção contrária das orientações do CNJ; concluiu-se que a quantidade de conciliadores não está relacionada à produtividade dos Tribunais de Justiça.

PERFORMANCE / DESEMPENHO

18/02/19

A produção de valores públicos de gestão no poder judiciário brasileiro sob a ótica da teoria de Moore

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Sandra Negri

Advisor / Orientador(a):

Cristiane Drebes Pedron

A administração judiciária brasileira, como parte da administração pública, deve seguir regras de eficiência, eficácia e efetividade. Para tanto se faz necessário observar o tempo, o custo, o cumprimento de metas e, por meio do comando estatal, mudar a realidade dos cidadãos. A crise do Poder Judiciário, ou a crise da justiça, expõe a morosidade, alto custo, problemas de gestão e o déficit na qualidade do serviço de justiça. Com isto, aumenta a percepção de que o Estado-Juiz é ineficaz, ineficiente e inconfiável. O Poder Judiciário, ao realizar atos de gestão, produz valores públicos, que em alguns ambientes, resultam da governança associada a Teoria de Moore (1995). A Teoria de Moore (1995) afirma que a excelência do serviço público é resultado da intervenção cooperada de todos os interessados. A produção de valores públicos judiciais faz aumentar as percepções positivas do serviço estatal, como a legitimidade, efetividade, celeridade e confiança. Diante disto foi desenvolvida a seguinte questão de pesquisa: Como os gestores da base judiciária brasileira produzem valores públicos de gestão em ambiente de governança? Esta pesquisa, que tem abordagem interpretativista, qualitativa e exploratória, tem o objetivo de explorar a relevância das atividades de gestão do Poder Judiciário como produtoras de valores públicos. Para atender ao objetivo de pesquisa: (1) foi descrito o novo cenário da administração pública e administração judiciária brasileiras, por meio de uma extensa revisão de literatura; (2) foram apresentados os valores públicos de gestão e análise de práticas de governança em Moore (1995), considerando um conjunto de 41 entrevistas em profundidade com experts; e (3) foi identificado, por meio de um estudo de caso em uma unidade judiciária, a forma de produzir valores públicos de gestão e seus reflexos benéficos para a administração. Contribui-se, de forma teórica, para refinar conceitos relativos a governança na Teoria de Moore inserida no Poder Judiciário. Quanto às contribuições práticas, o trabalho advertiu que a coprodução de valores públicos melhora a qualidade do serviço de justiça e, assim, contribui na formação dos gestores públicos do século XXI, comprometidos com Estado Democrático eficiente, confiável e eficaz.

PERFORMANCE / DESEMPENHO

21/03/18

Evidências de Mudança Isomórfica no Campo Organizacional da Justiça Estadual do Brasil

Master in Administration / Mestrado em Administração

Author / Autor(a):

Leonilson Gomes de Souza

Advisor / Orientador(a):

Adalmir de Oliveira Gomes

O Judiciário brasileiro tem passado por importantes mudanças nas duas últimas décadas, especialmente após a criação do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, em 2005. Muitas dessas mudanças foram originadas por pressões de natureza institucional exercidas sobre os tribunais, com reflexos na capacidade de as organizações do Judiciário representarem adequadamente seus papéis constitucionais. Assim, compreender esse processo é essencial para administrar os tribunais e o Sistema de Justiça como um todo. O presente trabalho busca compreender, à luz da teoria institucional, variações nos últimos anos a respeito do funcionamento de tribunais brasileiros. O objetivo da pesquisa é identificar padrões de mudança no campo organizacional formado pelos tribunais que compõem a Justiça Estadual no Brasil, no período de oito anos, de 2009 a 2016. Os dados foram coletados da base Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça. Os resultados são apresentados em gráficos de dispersão que mostram a evolução dos coeficientes de variação das diversas variáveis analisadas referentes à despesa, força de trabalho, produtividade e uso de tecnologia nos tribunais. Os resultados indicam que o coeficiente de variação da maior parte das variáveis diminuiu ao longo da série temporal coberta pela pesquisa, o que significa tendência de homogeneização no campo organizacional formado pelos tribunais estaduais. O estudo apresenta indícios que reforçam uma das principais proposições da teoria institucional: a estruturação de campos organizacionais por meio de isomorfismo institucional.

LEGITIMACY / LEGITIMIDADE

24/03/17

O significado do trabalho para juízes estaduais

Master in Administration / Mestrado em Administração

Author / Autor(a):

Ricardo Augusto Ferreira e Silva

Advisor / Orientador(a):

Tomas de Aquino Guimarães

O trabalho é visto não só como fonte de renda para a subsistência, mas como meio de o indivíduo se relacionar com outros indivíduos e de se sentir como parte da sociedade. Com a finalidade de contribuir para preencher uma lacuna na literatura científica esta pesquisa teve como objetivo descrever o significado do trabalho do juiz, apoiando-se nas dimensões de significado descritas no modelo MOW – Meaning of Work (1987): (a) centralidade, (b) normas sociais e (c) objetivos e resultados valorizados no trabalho. A pesquisa foi realizada no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, com abrangência nas 13 regiões judiciárias. A coleta de dados ocorreu entre outubro e dezembro de 2016; foram entrevistados 20 juízes de primeiro grau por meio de um roteiro semiestruturado. Os dados obtidos das respostas às questões foram analisados por meio de técnicas de análise textual e, posteriormente, pela análise de conteúdo. Os resultados da pesquisa demonstraram que não houve consenso quanto à centralidade do trabalho tanto em relação ao tempo quanto em comparação do trabalho com outras esferas da vida, embora a maioria dos entrevistados afirmasse que a Família é prioridade, seguida de trabalho e religião. O conceito de significado do trabalho, de forma unânime, foi associado pelos entrevistados a algo útil e produtivo à sociedade. Neste sentido, os juízes consideram o trabalho mais como um dever do que um direito diante da sociedade. Os entrevistados foram incisivos no entendimento de que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e os tribunais superiores são órgãos com caráter político, por possuírem na cúpula membros não advindos da magistratura. Criticou-se também a forma de legislar do CNJ por meio de resoluções, o que pode interferir na autonomia e independência dos juízes. Embora os sentimentos de frustração e felicidade sejam contrabalanceados entre os magistrados, os dados da pesquisa convergem com o padrão de concepção positiva onde o trabalho é visto como atividade geradora de valor na sociedade.

GOVERNANCE / GOVERNANÇA

30/06/16

Governança na Defensoria Pública : construção e validação de escala de medida

Master in Administration / Mestrado em Administração

Author / Autor(a):

Bernardo Oliveira Buta

Advisor / Orientador(a):

Tomás de Aquino Guimarães

Há, na literatura acadêmica do campo de Administração, escassez de trabalhos relacionados às organizações que compõem o Sistema de Justiça, em especial a Defensoria Pública. No que tange à construção de medidas, os trabalhos de pesquisa são ainda mais raros. De modo a contribuir para o avanço do conhecimento nesse campo, o objetivo geral deste estudo é identificar dimensões e variáveis que explicam a governança em Defensoria Pública. Para tanto, foram seguidas duas principais etapas de pesquisa, visando à consecução dos seguintes objetivos específicos: identificar dimensões explicativas e variáveis observáveis que explicam o conceito de governança em defensoria pública; e desenvolver e validar Escala de Governança de Defensoria Pública. Com fundamento na literatura sobre governança, governança pública e governança nas organizações da Justiça e em Defensorias Públicas, bem como em uma análise da percepção de atores integrantes do alto escalão da Defensoria Pública da União, identificaram-se sete dimensões de governança na Defensoria Pública: Recursos Organizacionais, Estratégia, Partes Interessadas, Estrutura, Controle, Accountability e Acessibilidade. A partir dessas dimensões, a Escala de Governança de Defensoria Pública foi construída e validada. Em um primeiro momento, as validações teórica e semântica indicam uma Escala contendo essas sete dimensões e 55 itens. Contudo, após a validação empírica, 32 itens foram agrupados em quatro fatores, denominados: Recursos Estratégicos, Controle e Accountability, Acesso à Justiça e Participação Social. As dimensões Estrutura e Estratégia não foram contempladas no modelo. Por fim, destaca-se que a Escala de Governança de Defensoria Pública é inédita e adequada para a avaliação das percepções de técnicos e gestores da Defensoria, bem como para a apresentação de um diagnóstico que subsidie a tomada de decisões, sendo capaz de fornecer informações relevantes para formulação ou melhoria de políticas públicas e de gestão necessárias a uma boa governança de defensorias públicas.

GOVERNANCE / GOVERNANÇA

15/06/16

Controles sobre o Judiciário geram Governança e Eficiência? Estudos sobre o CNJ e a Justiça Estadual

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Leonel Gois Lima Oliveira

Advisor / Orientador(a):

Carlos Eduardo Ferreira Pereira Filho

O objetivo desta tese é investigar a atuação do órgão de controle judicial no Poder Judiciário, focando na dimensão 'Desempenho Administrativo Judicial'. Esta tese visa complementar o modelo de Taylor (2008) adicionando o CNJ como um elemento da melhoria do desempenho dos tribunais, por meio da implantação de ferramentas gerenciais e ocasionando impactos políticos e institucionais. O estudo se apoia no contexto político e organizacional do Judiciário para apresentar um complemento ao entendimento vigente sobre os mecanismos de mensuração de desempenho. Os impactos do CNJ foram analisados a partir de sete aspectos do processo de Reforma do Judiciário: 1. Padronização das estruturas; 2. Sistemas de gerenciamento centralizados; 3. Padronização de procedimentos internos; 4. Centralização orçamentária; 5. Financiamento de unidades judiciais; 6. Procedimentos disciplinar contra irregularidades e más condutas de magistrados; 7. Critérios meritocráticos e promoção de magistrados. Os dados foram coletados por meio de entrevistas estruturadas com ex-conselheiros e conselheiros atuais do CNJ e considerou os dez anos de existência do CNJ (2004-2013), fornecendo uma perspectiva longitudinal. A análise temática ou categorial foi escolhida como a principal da técnica de análise de conteúdo. Os dados foram segmentados por questões, por categorias prévias e por categorias estabelecidas posteriormente. Foi evidenciado que o CNJ apresenta um efeito direto de atuação no 'Desempenho Administrativo Judicial': i) usando ferramentas de gestão que permitem os tribunais aprimorar a organização interna e elevar o nível de maturidade de governança; ii) moralizando e fiscalizando os Tribunais por meio de inspeções frequentes realizadas pela Corregedoria Nacional de Justiça que objetiva a resolução das irregularidades e o afastamento dos magistrados com más condutas no exercício do cargo. As evidências identificaram também impactos indiretos: i) o CNJ como um coordenador de ações do Judiciário, articulando melhor as relações com os representantes do Executivo e do Legislativo na obtenção de mais recursos orçamentários e financeiros para os tribunais; ii) o CNJ aumenta a autonomia do Judiciário reconhecendo os esforços de gestão dos tribunais e compartilhando as melhores práticas com os outros tribunais, com impactos na melhoria de infraestrutura e no desempenho. O aumento de controle promovido pelo CNJ reforçou a governança e a eficiência dos tribunais, mas com perca de autonomia num primeiro momento. Por outro lado, num segundo momento, possibilitou uma mudança de perfil nas indicações de seus conselheiros numa tentativa de enfraquecer o controle e aumentar autonomia dos tribunais.

29/03/16

Variáveis do Compartilhamento de Conhecimento Tácito nos Juizados Especiais Federais do Brasil: identificação e mensuração

PhD in Information Science / Doutorado em Ciência da Informação

Author / Autor(a):

José Roberto Pimenta Ferretti da Costa

Advisor / Orientador(a):

Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares

O objetivo desta pesquisa foi identificar as variáveis que explicam o compartilhamento do conhecimento tácito no âmbito dos Juizados Especiais Federais (JEF), consoante a perspectiva dos juízes. A hipótese central, baseada na literatura e na experiência do autor, assumiu que em torno do juiz encontra-se estabelecida uma rede de compartilhamento (RC), formada pelos seus pares, pelos agentes do sistema de justiça (ASJ) e pelos servidores que compõem a sua equipe, que, segundo dimensões de natureza pessoal, acadêmica, funcional, organizacional, geográfica e social, efetuam o compartilhamento do conhecimento tácito. A literatura conceitua o conhecimento tácito e o compartilhamento, define-os como ativos imateriais, mas valiosos, e apresenta estudos que os associam a um novo paradigma organizacional baseado em conhecimento. Para a identificação das variáveis explicativas do compartilhamento, um método foi desenvolvido e está composto das seguintes etapas e estágios: (1) Identificação do agente central; (2) Explicitação da Rede de Compartilhamento (RC); (3) Mapeamento das possíveis variáveis explicativas, estabelecimento das hipóteses e elaboração do instrumento de coleta de dados e informações (o questionário); 4) Criação de uma unidade de medida capaz de mensurar a propensão ao compartilhamento do conhecimento tácito; (5) Estimação dos impactos das variáveis hipotéticas (VH) sobre do indicador e identificação das variáveis explicativas (VE). Foram colhidos dados e informações de 95 juízes (de uma amostra de 105). Os resultados obtidos foram: (I) a caracterização os sujeitos amostrais, segundo as variáveis hipotéticas (VH) incorporadas pela hipótese; (II) a criação de uma nova unidade de medida de propensão ao compartilhamento de conhecimento tácito (anyi); (III) a formulação de um indicador numérico que mensurasse a propensão ao compartilhamento do conhecimento tácito; (IV) a identificação das variáveis explicativas do fenômeno do compartilhamento (idade, tempo de magistratura, tempo de JEF, Região da Justiça Federal, participação (ou não) em eventos de natureza interativa, participação em redes sociais de caráter técnico, emprego de aparelhos de comunicação privados (smartphones, tablets etc), concordância (ou não) que o compartilhamento é imprescindível aos trabalhos do juiz); e as possibilidades de: (V) verificação do valor e da positividade do impacto das VE sobre o indicador; (VI) estimação da propensão individual de um juiz compartilhar o seu conhecimento tácito; e a partir desse índice, (VII) estabelecimento de graus de compartilhamento para juízes entre (0,1); e (VIII) segmentação dos juízes quanto a faixas de propensão: (0-0,25), grau de compartilhamento baixo; (0,26-0,50), moderado-baixo; (0,51-0,75), moderado-alto; e (0,76-1,00), alto. Como conclusão, verificou-se ser possível: identificar quais variáveis explicam a propensão ao compartilhamento do conhecimento tácito, segundo o método proposto, e auxiliar os JEF a melhor compreender os fluxos de conhecimento tácito associados ao juiz.

INNOVATION / INOVAÇÃO

21/09/15

Inovação, recursos e desempenho em tribunais do trabalho

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Marcos de Moraes Sousa

Advisor / Orientador(a):

Tomas de Aquino Guimarães

A presente pesquisa tem por objetivo geral descrever a relação entre inovação, recursos e desempenho em Tribunais do Trabalho no Brasil. A inovação estudada refere-se ao Processo Judicial Eletrônico (PJE) adotado e desenvolvido no contexto da Justiça do Trabalho. A estratégia de padronização de um sistema único do PJE para o Judiciário em escala nacional é recente no Brasil e carece de maior entendimento. Para responder ao objetivo geral a tese foi estruturada em formato de três artigos semiautônomos, dispostos nos capítulos 2 a 4. O capítulo 1 refere-se à introdução geral e o capítulo 5 às conclusões e recomendações gerais, o que inclui uma agenda de pesquisa para estudos futuros sobre a temática. O capítulo 2 é um ensaio teórico sobre o tema inovação e desempenho no Judiciário, levanta sistematicamente o que tem sido pesquisado sobre o tema nos últimos anos e elenca as lacunas conceituais e metodológicas. O capítulo 3, de abordagem qualitativa, descreve, na percepção de magistrados e gestores da Justiça do Trabalho brasileira, quais são os recursos e capacidades associados ao desenvolvimento e adoção da inovação e o impacto no desempenho do Tribunal; descreve os fatores que facilitam e dificultam a adoção da inovação e; apresenta uma agenda de pesquisa. Foi realizado análise documental e 35 entrevistas, sendo nove com juízes e 26 com gestores. Foi descrito o processo de desenvolvimento e adoção de inovação. Destaca-se que a inovação contribuiu para o desenvolvimento e integração de outras inovações e alterações em rotinas de trabalho. O capítulo 4, de abordagem quantitativa, teve por objetivo elaborar e validar modelos teórico-empíricos por meio de Análise Envoltória de Dados e fronteira estocástica para explicar a relação entre recursos e desempenho da inovação tecnológica no judiciário. Foi desenvolvido um painel de dados com os 24 Tribunais do Trabalho brasileiros de 2003 a 2013. Das cinco hipóteses formuladas, três foram confirmadas, indicando que a carga de trabalho tem impacto positivo no desempenho do judiciário do trabalho; o porte do tribunal impacta a eficiência, e; o investimento em treinamento contribuiu para diminuir a ineficiência. As hipóteses relacionando o índice de processo eletrônico e o investimento em TIC com desempenho não foram confirmadas.

PERFORMANCE / DESEMPENHO

03/04/14

Estudos sobre desempenho da justiça estadual de primeira instância no Brasil

PhD in Administration / Doutorado em Administração

Author / Autor(a):

Adalmir de Oliveira Gomes

Advisor / Orientador(a):

Tomás de Aquino Guimarães

A presente pesquisa trata do desempenho do Judiciário brasileiro. Entende-se que a busca por uma prestação jurisdicional mais digna aos cidadãos, com celeridade, eficiência e qualidade, passa pela realização de estudos empíricos a respeito do desempenho de indivíduos e organizações do Judiciário. O objetivo da pesquisa é propor uma explicação para o desempenho da primeira instância da Justiça Estadual no Brasil. Para alcançá-lo foram realizados quatro estudos. O primeiro consiste em um ensaio teórico que buscou revisar pesquisas empíricas a respeito do tema; o segundo investigou como juízes estaduais da primeira instância percebem o trabalho que realizam; o terceiro buscou identificar variáveis preditoras do desempenho de juízes; e o quarto estudo investigou variáveis preditoras do desempenho de tribunais estaduais. O foco da pesquisa é a primeira instância da Justiça Estadual porque nesse segmento estão concentrados mais de dois terços de todos os processos judiciais pendentes no país. A pesquisa utiliza dados primários e secundários, provenientes de diversas fontes. Os dados primários foram coletados por meio de 25 entrevistas em profundidade com juízes de diferentes especialidades judiciais e que atuam em diferentes regiões do país. Os dados secundários foram coletados no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) e nas bases de dados Justiça Aberta e Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os dados secundários referem-se a desempenho e outras informações de 600 juízes da primeira instância da Justiça Estadual de São Paulo, e de todos os 27 tribunais estaduais do país, no período de 2003 a 2012. As entrevistas foram analisadas por meio de análise de conteúdo, e os dados quantitativos por meio de técnicas estatísticas, como análise de regressão e análise condicional. Os resultados mostram que, na percepção dos juízes entrevistados, a utilidade social e o idealismo são as principais motivações no exercício da magistratura; a quantidade excessiva de trabalho e a quantidade insuficiente de funcionários de suporte são as maiores dificuldades enfrentadas; e a busca excessiva por metas associadas à produtividade compromete a qualidade judicial. Em relação aos dados secundários, os resultados mostram que a quantidade de funcionários de suporte e a carga de trabalho afetam positivamente a produtividade de juízes titulares, enquanto a experiência do juiz na magistratura e a quantidade de juízes de suporte afetam negativamente a produtividade. A análise dos dados também revelou que o desempenho quantitativo de tribunais depende do acervo de processos pendentes, da força de trabalho e do investimento em tecnologia; enquanto o desempenho qualitativo, isto é, a proporção de decisões recorridas na primeira instância e reformadas na segunda instância, depende do investimento em tecnologia e da produtividade média do tribunal. Ao final de cada estudo e no capítulo final da pesquisa são oferecidas explicações para os resultados encontrados.

PERFORMANCE / DESEMPENHO

01/01/14

Qual o Impacto do Advogado sobre o Resultado da Decisão Judicial? Evidências Empíricas e o Fator Experiência

Master in Administration / Mestrado em Administração

Author / Autor(a):

Caio Castelliano de Vasconcelos

Advisor / Orientador(a):

Ricardo Corrêa Gomes